Texto vencedor do concurso literário da escola sobre A TOLERÂNCIA

Escola Profissional Espinho

Texto vencedor do concurso literário da escola sobre A TOLERÂNCIA

A tolerância é provavelmente um dos temas mais sensíveis e difíceis de perceber na sociedade. Afinal, precisamos de tolerância para tudo, mas somos todos diferentes e não agimos sempre da mesma maneira. Interpreto a tolerância como uma maneira de perceber alguém por mais que a minha vontade seja outra. Tolerar comportamentos, atitudes, pessoas incompatíveis, sons, gestos…tudo.
O meu caso é particularmente direcionado a pessoas, as pessoas cometem erros todos os dias, chateiam-nos todos os dias, fazem-nos sentir coisas que, por vezes, não são as melhores, mas acima de tudo consigo perceber que conseguir ser tolerante é conseguir ser alguém! Muitas vezes somos obrigados a tolerar, seja por que motivo for: trabalho, ambiente familiar, ambiente escolar ou sociedade! Mas com isto, aprendemos a ter autocontrolo sobre os nossos sentimentos, sobre as nossas atitudes, faz-nos pensar mais de duas vezes antes de agir.
Sinto que tolerar alguém com quem nós não nos sentimos compatíveis é uma maneira de aprendermos a compreender o lado da outra pessoa, a perceber que tipo de personalidade tem, que tipo de decisões toma e o porquê delas. Sinto que consigo tolerar se perceber os motivos de alguém, se “olhar mais de perto” e reparar que tolerar não é assim tão “sensível e difícil” de conseguir.
A tolerância ajuda-nos a tomar as decisões certas; a perceber lados; a enfrentar problemas; a crescer e a tornar-nos pessoas melhores.
E é por isso que, com muito orgulho, me considero tolerante e acima de tudo crescida, capaz de tomar as decisões certas e perceber o que é melhor para mim e para aqueles que me rodeiam.
O problema é que, às vezes, nem sempre é fácil consegui-lo. Por vezes, acontece ficarmos sem tolerância com pessoas que nos são próximas e que nós amamos, e pelo menos para mim esses são os piores casos. Muitas vezes sinto que sou obrigada a tolerar algo errado, mas, apesar de ser bom tolerar também existem casos em que é bom não o fazer. Ao percebermos que algo está errado não é possível tolerar. O melhor para quem está “do outro lado” é ouvir o que realmente é necessário. Normalmente, quando alguém perde a tolerância, acontecem coisas como usar palavras arrogantes, gritar e acabamos por magoar a pessoa e a tentativa de ajudá-la acaba por falhar. A melhor maneira de dar a volta a essas situações é tolerar sem tolerar, porque o método é o mesmo. Precisamos de pensar duas vezes antes de agir, precisamos de compreender o lado da outra pessoa e ao conhecê-lo, perceber qual a melhor maneira de o ajudar. Não somos todos iguais! Daí o facto de não termos o mesmo tipo de tolerância com toda a gente. É importante sabermos lidar com personalidades diversas e saber percebê-las, para que a tolerância possa ser aplicada. Não vai ser fácil aceitar o feitio de qualquer um, não vai ser fácil perceber que tens alguém que não te quer por perto e está sempre a tentar “acabar contigo”, mas, ao mostrar o poder de tolerar, perceber, inspirar e expirar inúmeras vezes, vais acabar por perceber que tudo se aguenta e que o esforço para tal não foi nenhum. Todos os dias nos cruzamos com pessoas novas que não conhecemos de lado nenhum, mas nunca pensamos se algum dia haverá a possibilidade de se conhecerem e se tornarem bons ou maus amigos. É importante conhecermo-nos uns aos outros para que possamos perceber-nos e tolerarmos comportamentos aos quais não estamos habituados. A tolerância é tudo! Era incrível ouvir pessoas a “gritar” todos os dias, a chorar todos os dias, a andar de mau-humor todos os dias, não era?! Não! De facto, não! É por isso que a tolerância deve ser usada e respeitada de modo correto, para que nos possamos entender e conseguir viver sem “uma guerra” à nossa volta. Acho que a importância deste assunto está bem explicita a meu ver. Este é o meu ponto de vista sobre o assunto e é também a minha realidade.
Tolerar não é uma simples capacidade, mas sim um poder e uma mais-valia para cada um de nós, uma maneira de aprendermos a crescer e de darmos o nosso melhor todos os dias! Eu sou tolerante, eu aprendi, cresci e agora sou assim…alguém que aguenta com tudo, lida com tudo e dá o seu melhor em tudo! Eu sou a minha melhor versão e a tolerância é um dom com o qual eu lido todos os dias!

 

Gabriela Ferreira Da Silva, Turismo 2º. ano

No Comments

Add your comment